Ato Unificado em SP 17/05, 14hs : Barrar o PIMESP! Cotas de verdade já!!!

Estudantes das UNESP’s de Assis, Marília e Ourinhos estão em greve. Hoje, 10 unidades da UNESP fizeram uma paralisação unificada, à qual o IFCH-UNICAMP aderiu. Sexta-feira uma grande ato mostrará a força do movimento estudantil!!!!

PLENÁRIA DE ESTUDANTES E PROFESSORES PELA MANHÃ NA FRENTE DO METRÔ ANHAGABAÚ

ATO EM FRENTE À REITORIA DA UNESP À TARDE! 

POR PERMANÊNCIA ESTUDANTIL PLENA! CONTRA O PIMESP: POR COTAS DE VERDADE! DEMOCRATIZAÇÃO DA UNIVERSIDADE: POR UMA ASSEMBLEIA UNIVERSITÁRIA QUE ACABE COM OS ESTATUTOS DA DITADURA!

A situação nas estaduais paulistas chegou a um momento crítico. Enquanto na UNESP a reitoria vem pra cima de trabalhadores e estudantes especialmente, querendo impor o grave ataque neoliberal do PIMESP, na esteira de seu planejamento estratégico privatista exposto no documento do PDI; a USP está ocupada pela polícia há quase dois anos, e estudantes em luta contra o estado militar são tratados como bandidos de alta periculosidade, ao mesmo tempo em que políticos corruptos colarinho branco, como Maluf circulam nos salões da burguesia; na UNICAMP, o avanço da terceirização e precarização do trabalho chega a níveis alarmantes.

Dizemos: Basta! Não aceitaremos mais um projeto de universidade de elite, sem políticas de permanências, para os pobres e filhos da classe trabalhadora que conseguem atravessar o filtro segregador do vestibular. Somos nós mesmos e nossos pais que sustentam esta universidade, foi o suor do povo que a construiu. Exigimos que o governo do estado de São Paulo e os reitores garantam políticas unificadas de permanência estudantil, afim de possibilitar que estudantes de baixa renda concluam seus cursos com tranquilidade, como forma de avançar na democratização da escola publica, levando em conta a história do Brasil e da formação do povo brasileiro.

Dizemos: Basta! Não aceitaremos que nos empurrem goela abaixo um programa racista e discriminatório como o PIMESP, que sob um verniz de cotas, traz em seu bojo um grave ataque neoliberal e precarizador das relações de trabalho, ensino e estudo. Não passarão! Os estudantes desta universidade declaram-se partidários de cotas proporcionais ao total da população do estado. Queremos que as entidades e movimentos historicamente ligados a questão das cotas participem dos debates e das decisões.

Exigimos que imediatamente se iniciem os procedimentos necessários para a instalação de uma Assembleia Universitária que modifique os estatutos da ditadura, e democratize as estruturas de poder, dando peso real decisório a categoria de trabalhadoras e trabalhadores e de estudantes. Não é admissível, sob nenhum ponto de vista, que uma universidade seja dirigida por castas privilegiadas — que ironicamente se dizem partidários de cotas.

Fazemos o chamado a todos os estudantes e entidades estudantis, professores, movimentos populares e organizações do povo, a comporem a PLENÁRIA ESTADUAL DE ESTUDANTES, PROFESSORES E MOVIMENTO SOCIAIS afim de avançarmos nas mudanças estruturais necessária para garantirmos um país justo.

Ourinhos, 5 de maio de 2013

Conselho de Entidades Estudantis da UNESP-FATEC

 URL:: http://greve-ocupacaounespmarilia2013.blogspot.com.br/

Esse post foi publicado em Movimentos Em luta. Bookmark o link permanente.