Unifesp tem precariedade exposta no Facebook

Alunos do campus da Universidade Federal de São Paulo em Diadema criaram página na internet para denunciar a falta de manutenção

Uma porta estreita de metal e vidro, escondida entre uma loja de material de limpeza, oficinas mecânicas e um CFC (Centro de Formação de Condutores), não parece, mas é a entrada de uma instituição federal de ensino superior no ABC.

Na fachada, não há nada que informe, mas é ali que funciona uma das quatro unidades da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) em Diadema.

Para protestar sobre este e outros problemas de infraestrutura, os alunos apelaram para as redes sociais e criaram o Diário de Unifesp – Campus Diadema.

A página no Facebook relata problemas de manutenção dos prédios que, segundo os estudantes, prejudicam o andamento das aulas e o processo de aprendizagem.

No ar há dez dias, a página Diário de Unifesp – Campus Diadema contabilizava 680 curtidas até a tarde de ontem.

Entre as postagens – com fotos – estão casos de micro- -ondas que explodiu e bebedouro sempre desabastecido.

Os textos e as imagens relatam a existência de aparelhos de ar condicionado que estão inutilizados por falhas de instalação elétrica e de partes do teto sem forro e com infiltrações.

Há até uma ameaçadora colmeia, que se desenvolveu do lado de fora da janela de uma das salas.

Com misto de ironia e bom humor, os alunos identificaram a imagem dos insetos e sua moradia como ‘nossas companheiras’.

Outra foto, que faz alerta sobre a acessibilidade, mostra um jovem ‘escalando’ uma ladeira de paralelepípedo que dá acesso a uma das unidades no Centro.

“Enfrentamos há um bom tempo situação de má infraestrutura, que só piorou após a greve de 2012”, afirmou o responsável pela página, André Rodrigo da Silva, 21 anos, do curso de Licenciatura Plena em Ciências.

Segundo o jovem, o diário virtual tem aprovação da maioria dos alunos e funcionários. A iniciativa inspirou os colegas do campus de Guarulhos, que criaram página semelhante. Estudantes de Santos e Osasco planejam fazer o mesmo.

“Batalhamos para entrar nesta universidade, que é custeada pela sociedade, mas a infraestrutura oferecida não condiz com o nome da Unifesp”, afirmou Silva.

Promessa de solução

A direção da Unifesp Diadema informou, em nota oficial, que tem conhecimento dos problemas relatados pelos alunos.

“Na medida do possível, as medidas já estão sendo tomadas. Também estamos em processo de liberação financeira para sanar os problemas com extintores, bebedouros, água, projetos de construção, etc.”

Entre outros canais de comunicação com os estudantes, a universidade mantém congregações de campus, ouvidoria e um jornal.

UNIFESP

Na sobreloja de um pequeno prédio, uma das unidades divide espaço com o comércio e não tem qualquer inscrição na fachada (Thales Stadler / ABCDIGIPRESS)
Fonte: Metrô ABC
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.