Ata da Assembleia Geral dos Estudantes da EFLCH quarta-feira, 17/04

Início às 18:30 – Local: Páteo do Campus

Aberta a reunião pela estudante Karen, solicitando interessados para a formação da Mesa Diretora dos trabalhos. Após algumas solicitações para a composição da mesa, se inscreveram: Juraci para condução dos trabalhos; Marcos para secretariar os trabalhos e Carolina para inscrições e controle do tempo.

Após eleição da Mesa diretora, feita a leitura da proposta de pauta, sendo aprovada pelos presentes, a saber:

Informes. 2. Infraestrutura. 3. Eleições discentes para os Conselhos Centrais, Congregações e outros órgãos da Unifesp; 4. Situação do Torricelli-Anhanguera pela Unifesp e, 5. Encaminhamentos.
Em seguida, aprovado pelos presentes que número de intervenções e o tempo disponível será dividido da seguinte forma:

2.1.      10 inscrições de 2 minutos para os item 1, 3 e 5 e, 5 inscrições de 2 minutos para o item 2.

2.2.      Quando faltar 30 segundo para o término da intervenção, o estudante será comunicado.

2.3.      No final, serão apresentados os encaminhamentos para votação em bloco. Eventuais divergências, antes da votação, será debatido e votado em separado.

2.4.      O TEMPO PREVISTO PARA ENCERAMENTO SERÁ ÀS 19H30MIN.

i) INFORMES:

– informe da nova gestão de Pedagogia, eleita È agora Maria!; – Fechamento do espaço estudantil na Baixada Santista; está rolando o programa ADOTE UM CALOURO, pra quem estiver afim de adotar, entrar em contato com a Danila Rodrigues (CAPED/Pedagogia); Desapropriação no sítio São Francisco e remoção pelo CDHU. Informe do último Sarau da resistência realizado no sitio, blog  sitiovive.wordpress.com e no dia 08 de Junho será realizado o II Sarau da Resistência; – Realização da Marcha à Brasília, dia 24 com lista rolando no campus, lista com a Juliana; – Arquivamento dos Processos administrativos; – Assembleia de Ciências Sociais 24 de abril Sala 17 da unidade 1 às 18hs. PAUTA: Pró-CACS; Centro Acadêmico de História CAHIS em eleições até 18 de abril; – Marcos Cezar é o novo diretor do CPPU; – Processos criminais em andamento, dia 05 de abril houve mais uma movimentação do processo; – Informe da Congregação – Demanda para construção de salas provisórias no galpão de dezembro não levada adiante na época; – Apeoesp – Sexta-feira às 14h na Paulista ato assembleia; Proposta de Código de ética do estudante será votado em abril na reunião do CAE; – Abertura da Comissão de Moradia, e uma Comissão para discutir violência, machismo e homofobia; Lista rolando para ônibus para Marcha da Maconha em Maio. Audiência Pública sobre a transferência do campus e Construção do prédio no dia 23/04.

Após os informes, procedeu-se o início da discussão dos pontos de Pauta:

ii) Infraestrutura

Comissão de Infraestrutura ira se reunir dia 18/04 às 16hs para que o novo representante eleito comparecer; Rever a questão dos auxílios, transporte, garantia de bandejão, moradia, permanência, Pauta de reivindicação não atendida de 2012, entre outras que estão pendente, embora debatidas na Congregação do Campus. Debatido que o fim da greve acabou favorecendo que o terreno em frente ao Campus, que já estava com o pedido de desapropriação com o Ministro Mercadante, fosse rapidamente tomado por uma empresa com a finalidade de construção de apartamentos, prejudicando a pauta de reivindicação dos estudantes.

Propostas deste ponto de pauta:

Criar uma Comissão tripartite de Maioria Estudantil para acompanhamento da transferência para o Torricelli e as obras de construção do Prédio nos Pimentas;

Comissão de Infraestrutura da Congregação Paritária;

Solicitar à Comissão de Infraestrutura posição sobre a creche e espaços estudantis, biblioteca entre outros;

Estudantes para Comissão de Infraestrutura e Transporte:

Se inscreveram alguns estudantes: Luna (Ciências Sociais – Titular) e Edmílson (Suplente); Renato Racin (Titular); falta um suplente e, Comissão de Transporte, aprovado por contraste. Se inscreveram alguns estudantes: Ana Cardoso (Titular), Maria Clara (Suplente), Laisy Cruxen (Titular), Kelen (Suplente). Todos os estudantes foram eleitos por maioria dos presentes, com algumas manifestações de abstenção e nenhum voto contra.

iii) Representação Discente

Karen repassou informe sobre as eleições para os diversos Conselhos Centrais, Congregações e outros órgãos da Unifesp. Deverá ocorrer entre os dias 08 e 09 de maio. Formato 70/15/15. Aprovado no CR-DCE o envio de carta para mudar esta datas, primeiro porque vários Campi estão em período de férias, provas e trabalhos e, ainda, em vez de 2 dias, foi proposto que estas eleições sejam realizadas em 5 dias. No CR-DCE está sendo formado um chapão para representação discente e defesa das pautas estudantis nos Conselhos. Este chapão deverá garantir que todos os CAMPI tenham representantes. Por exemplo, no CONSU, serão eleitos 6 estudantes no Chapão e 1 das vagas será disputada pelos interessados. Proposto Levando a pauta do movimento aos Conselhos. Apresentação da Chapa Unifesp Livre: o estudantes Juraci anunciou que a Unifesp Livre apoia a proposta do Chapão, mas estará concorrendo com chapa própria. A maior parte dos pontos do Chapão faz parte das reivindicações do Movimento Estudantil dos diversos Campi, no entanto, divergimos pontualmente de alguns itens, a exemplo do número de estudantes nos conselho, defendemos que sejam maioria estudantil. Também anunciou que na discussão do CR-DCE, Guarulhos e São Paulo reivindicaram a vaga excedente para o Consu, o Unifesp Livre vai disputar esta vaga, entendendo que Guarulhos tem questões específicas, sendo um dos campos mais problemáticos da Unifesp. Defende ainda melhor distribuição dos recursos financeiros para os Campi, evitando se concentrar somente em São Paulo, embora reconhecemos que São Paulo também tem problemas. Três estudantes de Guarulhos se apresentaram como representantes à Congregação, a saber: Juliana, Henrique e Talita. O estudante Felipe abriu mão da sua candidatura em favor da Agnes. O estudantes Pedro abriu mão de seu nome no Chapão em favor do candidato Ramon. No final, a assembleia aprovou como parte do Chapão por Guarulhos, o nome do estudante Ramon de Ciências Sociais, não ocorrendo restrição quanto à disputa pela Unifesp Livre da vaga excedente para o CONSU

Propostas deste ponto de pauta:

1) Debate na Quinta-Feira, dia 25 da semana que vem com candidatos inscritos para a Congregação e Consu;

2) Apresentação dos representantes discentes.

3) Candidatos não pertençam ao DCE.

4) Que as chapas ou candidatos individuais apresentes propostas e programa das Chapas nos próximos debates.

5) Elencar os nomes dos representante qie irão compor o “Chapão” para o CONSU, CAE e COPLAN de Guarulhos para apresentar na próxima reunião do CR-DCE. Aprovados: (Ramon – Consu; Nathalia Schimidt – Coplan; Agnes – CAE)

iv) Situação Torricelli-Anhanguera

Informes da visita pela Diretoria e Comissão de infra ao Torricelli-Anhanguera, entre outros: situação Ponte orca, funcionários com salários atrasados e possibilidade de fim do serviço, além do problema do trajeto; maioria das salas é menor que a do Campus Pimentas, apenas algumas são maiores. Refeitório é pequeno, será servido almoço feito fora e enviado em marmitas. Anfiteatro com 200 lugares; Alguma atividade será mantida no Pimentas mas não no Campus. Problemas com o local da biblioteca, principalmente com infiltrações que podem estragar o acervo. Existência de catracas, sendo rechaçado pelos presentes este tipo de controle. Falta de espaços de convivência, trata-se de um prédio construído para o primeiro e segundo graus. Problema de trânsito no local. Reclamações de estudantes que o custo de vida no centro de Guarulhos é maior que os Pimentas, principalmente as locações de apartamentos e casas. Tanto os estudantes, quanto docentes e técnico-administrativos vão ter problemas com este local. Alguns se manifestaram que estas informações deveriam ser reveladas antes da votação de ida para o Torricelli-Anhanguera, e agora fica claro o porque que a maioria de docentes da Congregação que defendem a saída dos Pimentas, votaram às pressas e sem a audiência pública, evitando um amplo debate com a comunidade acadêmica. Para além da questão do transporte dos Pimentas ao Torricelli-Anhanguera, hoje os estudantes podem se utilizar do Campus durante todo o dia, vindo à pé ou de bicicleta, utilizando todas as instalações e ainda a internet, portanto, perderão a liberdade atual, mesmo com a regularização de ida e volta ao centro. Lida o trecho da ATA da congregação, onde 11 docentes votaram contra a Audiência Pública; 03 estudantes e 05 técnicos votaram a favor da Audiência Pública e, 06 docentes, a maioria da Chapa 2 (diretoria acadêmica), alegando que faltava informação para uma audiência pública, se abstiveram. Se os votos dos estudantes e técnicos, que totalizaram 08 votos, tivessem o apoio da Chapa 2, o total de votos para uma AUDIÊNCIA PÚBLICA, seria de 16 votos, portanto derrotaria os 11 votos contrários. Levantado que isto ressalta a importâncias das eleições para a Congregação do Campus Guarulhos, onde é o reduto de professores que não tem interesse em manter a Unifesp nos Pimentas. Algumas propostas deste item de pauta para deliberação:

Propostas deste ponto de pauta:

1) Abaixo-assinado pela permanência do serviço nas salas na próxima semana;

2) Que os CAs e o DCE façam uma ampla campanha pelo fim dos processos criminais;

3) Proposta mínima de infraestrutura para ir à Torricelli;

4) Seja apresentada a planta do prédio e como será a construção na audiência pública ou em outro momento;

5) Retirar as catracas do Torricelli e qualquer forma que impeça o livre acesso da população à única universidade pública de guarulhos – UNIFESP;

6) “Ato em defesa de EFLCH” no dia da audiência pública de terça-feira.

v) Encaminhamentos finais

Leitura dos encaminhamentos que ainda não foram votados: abaixo-assinado pela permanência do serviço nas salas na próxima semana; que os CAs e o DCE façam uma ampla campanha pelo fim dos processos criminais; Proposta mínima de infraestrutura para ir à Torricelli-Anhanguera; Seja apresentada a planta do PRÉDIO NOVO, a proposta de ocupação deste prédio na referida audiência pública do dia 23/04/2013 e, principalmente qual será a estratégia para a saída provisória dos Pimentas ao centro de Guarulhos; comissão de acompanhamento das obras do prédio novo e, retirada das catracas do Torricelli-Anhangeura. ATO EM DEFESA DA EFLCH pela permanência nos Pimentas, mantendo TODOS OS CURSOS e, ainda, ampliação dos cursos, conforme pauta do Movimento Estudantil que deverá ser retomada. Repúdio aprovado: “QUE NÓS REUNIDOS EM ASSEMBLEIA REPUDIAMOS CATEGORICAMENTE A DECISÃO ARBITRÁRIA DA CONGREGAÇÃO EM NOS MUDAR PRO TORRICELLI SEM REALIZAR PREVIA CONSULTA PÚBLICA (COM TODOS OS SETORES DA COMUNIDADE ACADEMICA E POPULAÇÃO DE GUARULHOS).”

Anexado aos encaminhamentos as propostas abaixo da carta do CAPED: 1) Que a saída seja obrigatoriamente temporária e tenha a duração exata do período de construção do prédio da EFLCH no bairro dos Pimentas, com nossa volta imediata após a conclusão da obra; 2) Que o serviço “Ponte Orca – EMTU” se mantenha, para transportar estudantes e funcionários à unidade temporária da EFLCH, com funcionamento de interregno de 10 minutos e que seja feito um estudo junto aos estudantes sobre o uso do transporte, avaliando, considerando e viabilizando aos estudantes residentes no bairro dos Pimentas e aos estudantes residentes na cidade de São Paulo; 3)Além disso, este transporte deve funcionar para os estudantes de vários cursos que realizam estágio em horário inverso ao de estudos, assim como os estudantes de Pedagogia que realizam a Residência Pedagógica em várias escolas no bairro Pimentas e diversas outras atividades que manterão sua realização no bairro, como a Unidade Curricular Práticas Pedagógicas Programadas, Pibid, projetos de extensão, cursinho popular. Em nosso retorno à EFLCH no bairro dos Pimentas, exigimos: 1) Que todos os cursos conjuntamente retornem ao campus definitivo, em nome do projeto pedagógico de consolidação da EFLCH; 2)Que haja restaurante universitário, com estrutura e alimentos de boa qualidade; 3) Creche, com estrutura (espaços, mobiliário, dormitório, refeitório para as crianças pequenas) para as estudantes e trabalhadoras mães; 4) Biblioteca com acervo ampliado e espaço para estudos; 5) Salas de aulas, com recursos instrucionais (computadores, data show) isolamento acústico e de temperatura devidos; 6) Laboratório ampliado de informática, que atenda a demanda e computadores novos e sem problemas técnicos, com mais impressoras e máquinas de cópias; 7) Espaços de interação dos estudantes, para o desenvolvimento de nossas atividades políticas, culturais e projetos de estudo; 8) Moradia estudantil dentro ou próxima ao campus. Após consulta aos presentes, todas as propostas foram aprovadas por contrastes, a exceção da proposta de não participação dos estudantes que fazem parte do DCE nas eleições gerais da Unifesp. Um estudantes levantou questão de ordem que não seria válida esta votação, uma vez que esta proibição não está previsto no próprio regimento das eleições. Após alguns esclarecimentos, a questão de ordem foi colocada em votação, sendo acatada por maioria dos presentes, conforme contraste. Por último, a mesa encaminhou a proposta de nova data para a assembleia geral, sendo sugerido o dia 25 de abril de 2013, às 18 horas, neste mesmo local (Páteo Central). Colocado em votação, a proposta foi aprovada pelos presentes, sem votos contra. Últimos informes: dia 23/04/2013, 18 horas, no Teatro: AUDIÊNCIA PÚBLICA e dia 25/04/2013, ASSEMBLÉIA GERAL DO CAMPUS GUARULHOS.

Esse post foi publicado em Atas. Bookmark o link permanente.