Construção do prédio da Unifesp em Embu continua parada

As obras para a construção do campus da Unifesp de Embu das Artes que receberá universitários de, pelo menos, 30 municípios ainda não foram liberadas. A prefeitura da cidade de Embu deu início ao processo de licenciamento ambiental (solicitação de Alvará Metropolitano) do complexo Parque da Várzea do Rio Embu Mirim em junho de 2010 junto a Cetesb.

O projeto da construção do Parque que inclui o campus da Unifesp é fruto da compensação ambiental ao município pela construção do trecho sul do Rodoanel. E após cerca de um ano da solicitação do alvará, a CETESB informou que o processo de licenciamento do Parque não poderia ser vinculado ao processo do Rodoanel e que deveria ser apresentada a matrícula do imóvel em nome da Prefeitura.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Prefeitura, esse documento é impossível de ser emitido, já que o Governo do Estado ainda não concluiu a regularização fundiária das propriedades que envolvem o Parque.

Em nota, a prefeitura diz que está se “empenhando ao máximo para a retomada das obras e vem apresentando toda a documentação solicitada pela CETESB, não deixando nenhuma pendência técnica para a conclusão do licenciamento, exceto a comprovação de titularidade da desapropriação do terreno”. A expectativa é de que as obras sejam retomadas até junho de 2013.

Projeto

O projeto de construção do Parque da Várzea Embu Mirim foi lançado em 2010. Em funcionamento já está um campus que atende 1.000 estudantes com cursos gratuitos de curta duração certificados pela Unifesp.

A área totaliza 1 milhão e 600 mil metros quadrados, maior do que o Parque Ibirapuera,. E nesse espaço será implantado o Parque da Várzea do Rio Embu-Mirim, com recursos da ordem de R$ 32 milhões investidos pelo governo federal por meio do Ministério do Turismo. Quando concluído, ele terá, além do campus da Unifesp, um centro olímpico para formação de atletas, pista de Cooper, ciclovia, centro cultural, quadras de tênis e poliesportiva, entre outros equipamentos públicos.

O parque fica no entorno do Rodoanel e às margens do rio Embu-Mirim, um dos principais contribuintes da represa de Guarapiranga, que abastece mais de 4 milhões de pessoas na Grande São Paulo.

Fonte: Portal O Taboaense

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.