O debate sobre racismo descolado da prática cotidiana

No dia 21/03/2012 foi promovido no Campus da Unifesp Guarulhos um debate “O Racismo na Universidade” e uma oficina de cartazes no pátio central da Unifesp-Guarulhos, seguindo um chamado nacional da ANEL (Assembleia Nacional Estudante Livre) em resposta ao trote racista feito por veteranos do curso de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que teve as fotos divulgadas nas redes sociais.

debate sobre racismo
“O trote racista da faculdade de Direito da UFMG, denunciado amplamente nas redes sociais até que ganhou espaço na grande imprensa, explicita a verdade acerca das Universidades brasileiras: nelas, o racismo ainda tem muita força”. Chamado da organização do evento publicado no Facebook.

Acredito que não seja possível se debater o racismo na universidade sem debatê-lo na sociedade em geral, menos ainda sem contextualizá-lo com o próprio bairro onde fica a universidade. E quanto aos colegas da universidade e moradores da região e que se enquadram no estereótipo preferido de abordagem da polícia, como está sendo esse processo de saturação?

Como é retornar para casa por volta das 23h00 com todo esse aparato policial apontado em sua direção? E quanto aos alunos e alunas da Unifesp que também são moradores do Sítio São Francisco, que tentam se articular para manter sua casa ou ainda uma negociação digna com o poder público? Confesso que estou cansada desses discursos descolados da prática cotidiana.

Meu total apoio aos companheiros do Sítio São Francisco!

Meu apoio aos companheiros e companheiras que moram na região para superar essa Saturação!

Que nenhum/ nenhuma de nós se perca nessa guerra civil!

Que os moradores da senzala moderna consigam sobreviver ao ataque direto dos capitães do mato dentro e fora dos muros universitários!

Que fortaleçamos o Sarau da Resistência do dia 06/04 – Cultura x violência de estado!

Por Grabriela de Jesus. Estudante da Unifesp e moradora do bairro dos Pimentas.

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.