Eleições do DCE UNIFESP ” MAIS UM CALICE PARA EU BEBER?”

Nós do MOVIMENTO CONTRA O CÁLICE somos uma iniciativa oriunda da UNIFESP-DIADEMA, em construção, que busca força através do diálogo e da construção coletiva através da representação de diversos estudantes de diferentes unidades.

Acreditamos no poder do povo, que só será conquistado se permanecermos unidos respeitando uns aos outros.

Apoiamos as representações discentes, pois acreditamos ser o único instrumento efetivo para o exercício politico-democrático e a garantia dos direitos discentes.

Mas o movimento é também um local de denuncia, debate, formação, formulação coletiva e não podemos deixar pessoas que não nos representam, nos manipular ou ocupar cadeiras ou posições com motivos escusos.

Dos dias 3 a 7 de dezembro estará acontecendo as eleições do Diretório Central dos Estudantes da Unifesp- DCE.

O D.C.E é a maior representação discente da Universidade que deve estar em consonância com os movimentos existentes, representações e entidades de base, ou seja CA, DA e Associações Acadêmicas.

A Universidade no porte da UNIFESP que conta em seus 6 campus com cerca de 10 mil alunos, 56 cursos e 18 centros acadêmicos ativos, deve estar em constante dialogo com as representações estudantis.

Este processo de eleitoral se deu no período de um mês, em uma época que os estudantes estavam em períodos turbulentos, saindo de uma greve de quatro meses, em meio a exames e recessos, ocasionados pelo calendário apertado imposto pela PROGRAD.

Mesmo assim tivemos a inscrição de duas chapas: a CHAPA VEZ DA VOZ e a CHAPA UNIFESP LIVRE que esta se inscreveu principalmente para denunciar as irregularidades ocasionadas no processo eleitoral.

Segue algumas anotações de alguns pontos irregulares das eleições:

1. estatuto alterado em uma reunião do CR-DCE em agosto. de acordo com o Estatuto do DCE, o mesmo somente pode ser alterado numa assembleia geral ou em Fórum convocada especialmente para tal  . Art 52

2. aprovação do edital e regimento eleitoral sem a presença de representantes de 2 campi (Santos e Osasco)

3. o regimento não estabelece quórum minimo;

4. a comissão eleitoral composta por 3 membros não tem representantes de todos os campi.

5. na ata da reunião que aprovou e edital consta o seguinte trecho abaixo, o que pode indicar que não houve quórum para deliberação.

6. a comissão eleitoral não está completamente nomeada, foi publicada uma mensagem ontem solicitando a participação de “voluntários”

7. os horários e locais de votação não estão definidos nem a fiscalização das votações.

8. em uma das atas protocoladas estavam redigidos os seguintes dizeres: “Discutidas todas as pautas da reunião, esta se encerrou, com a contabilização das assinaturas dos centros acadêmicos que não estavam presentes, mas que deram aval ao regimento eleitoral e edital das eleições”.

De acordo com o estatuto do DCE no art. 14 diz que a assembleia geral é o maior orgão deliberativo após ele vem o CR-DCE que congregam CA, DA e AA.

Se nem as representações desses orgãos, nem os alunos estão sabendo muito bem dessas eleições, essas chapas burlaram as esferas superioras de deliberação para se promoverem.

Defendemos um DCE que seja construído dentro de uma discussão ampliada, juntamente com movimentos e centros acadêmicos através de Fóruns e Congresso, onde possa ser construído documentos que represente o anseio de cada estudante de forma democrática e aprovado em assembléia.

Repudiamos qualquer tipo de manipulação e condições defraudantes, apresentação de propostas ilegítimos, criados a toque de caixa, onde não se reconhecem a participação dos estudantes na construção pois foram feitas na garagem de suas própria casa com o debate de seus próprios pensamentos.

Após estabelecermos diálogos com outros movimentos de outros campus, pudemos perceber que além de Diadema, diversos movimentos em outros campus estavam insatisfeitos com a situação e não se sentiam representados pelas chapas e nem tinham ciência das discussões acima citada.

Há um consenso que as eleições devem acontecer após um grande debate dentro de um amplo e representativo congresso estudantil, por isso apoiamos a anulação desta eleição, possibilitando a transferência deste processo para o próximo ano, onde teremos tempo hábil para organizar assembléias fóruns e congresso, onde  possamos discutir formato e contribuir na construção de propostas e plataformas reais.

Pedimos ao CR DCE que tome as devidas providências que lhe cabem de acordo com o artigo 24 item

Pedimos também a cooperação e colaboração dos alunos do campus Diadema, não comparecendo as urnas manifestando o seu protesto,

Prometemos que essa discussão não se encerra por aqui, mas ao contrario é um recomeço de uma aliança de parceria e força dentro da Universidade.

Sonho que se sonha só é só um sonho, sonho que se sonha junto é realidade”

MOVIMENTO CONTRA O CALICE

Esse post foi publicado em I Congresso dos Estudantes da Unifesp. Bookmark o link permanente.