Por um Congresso para fortalecer a luta estudantil e (re)construir o Diretório Central dos Estudantes (D.C.E.)

Carta aberta da Chapa Unifesp Livre aos Estudantes da Unifesp e à Chapa Vez da Voz.

O DCE da Unifesp há anos mantém uma estrutura que comprovadamente não serviu para organizar e fortalecer o movimento estudantil, haja vista que está sem direção há mais de dois anos. Desde 2011 ocorreram várias reuniões na tentativa de organizar um Congresso dos Estudantes e, fomos surpreendidos com uma convocação de eleições que, entre o edital, inscrições e eleições, foram reservadas pouco menos de duas semanas e, ainda, das 27 organizações de base existentes, apenas uma parcela pequena fez parte.

Portanto, realizar as eleições nas condições dadas significa na prática fortalecer as posições da burocracia reformista que visa INSTITUCIONALIZAR A LUTA DOS ESTUDANTES e desta forma, cria-se e dá-se o que ela não tem: uma base social no ME que participará de um processo meramente eleitoral, formalista e despolitizado.

A contradição é que essa eleição do DCE no formato proposto e lançado a toque de caixa – com apenas duas semanas, não será apenas despolitizada e oportunista, mas servirá de legalização e referendo para a institucionalização do processo reformista – que até fará algumas concessões, mas garantindo-se como direção do processo para manter o controle burocrático da Unifesp e do próprio Movimento Estudantil.

Entendemos que este processo eleitoral, caracterizado por um método burocrático de realizar as eleições, contraria a proposta inicial de realização de um Congresso dos Estudantes, portanto não se construirá uma alternativa de direção para o ME, como ainda criará as condições sociais para que a burocracia reformista se recomponha, inclusive aquelas que tem demonstrado posições claramente autoritárias.

Sem organização de base e entidades de fato democráticas, a representação paritária e até mesmo proporcional nos organismos, não passa de uma mera formalidade da “democracia burocrática”!

Neste sentido, a CHAPA UNIFESP LIVRE propõe o cancelamento da eleição do DCE 2012 e a realização imediata do Congresso dos Estudantes, construído a partir dos diversos Campi com o seguinte eixo inicial, que poderá ser acrescido ou suprimido:

1. Autonomia do movimento estudantil frente à burocracia universitária;

2. Liberdade para que estudantes independentes ou organizados em grupos ou partidos políticos possam trazer suas teses para debate;

3. Processo eleitoral a serviço da organização de base;

4. Prover o ME com um programa que integre a luta pelo atendimento das necessidades básicas apontadas nas PAUTAS DOS DIVERSOS CAMPI;

5. Fundamentar a construção de entidades de base e do DCE como ferramentas de luta e representação de fato democrática dos estudantes;

6. Fim dos processos e criminalização do movimento estudantil;

7. Luta pela democratização da Unifesp;

8. Construção curricular de uma universidade a serviço da sociedade e não das demandas do capital, conforme consta em Estatuto e Regimento Geral da Unifesp;

9. Apoio e integração com as lutas gerais dos trabalhadores;

10. Eleições do DCE e representações de base.

Defendemos a realização de um Congresso Estudantil Intercampi, democrático e organizado pela base que anteceda qualquer gestão, partindo, portanto, de concepções, reflexões, propostas e demandas de toda a comunidade discente e constituindo-se, assim, em um DCE que de fato seja capaz de representar, organizar e mobilizar os estudantes de forma autônoma e independente, a serviço da construção de uma universidade livre, democrática e comprometida com os interesses dos trabalhadores.

Chapa Unifesp Livre

Esse post foi publicado em I Congresso dos Estudantes da Unifesp. Bookmark o link permanente.